20 julho 2006

O Chamado

No fundo mais
profundo
meu mundo se
esconde
e responde
à chamada da
morte.

15/04/2003

(Copyleft)

11 comentários:

  1. Eu cabulei neste fatídico dia, Keila, que sorte a minha...

    ResponderExcluir
  2. A Morte não chama; ela vem!

    ResponderExcluir
  3. Só deixa responder se a resposta for...Mais tarde!
    Estrelas.

    ResponderExcluir
  4. Só deixa responder se a resposta for...Mais tarde!
    Estrelas.

    ResponderExcluir
  5. "
    No fundo: mais.
    Meu mundo: se.
    "

    Muito muito bom!!! Esses versos então!


    ops, ops, o que vejo aqui ao lado?
    "Leandro [Meigo] Jardim - essa praga pega!"

    Eu sou espada, hein!!!! Hehehe... e ó, se ficar o bicho come e se correr a praga pega...

    O.O'

    tudo bem, tudo bem, pior seria se fosse a "prega paga"... muahahahahahaha!

    bjs fanfarrões!

    ResponderExcluir
  6. Fui lendo, fui tentando perceber mais adiante o que encerras neste profundo que confabula com a morte. Sim, ela é uma senhora que atrai mistérios, ela penetra pensamentos que se encontram confusos e negativos. Eu fiz o caminho inverso... quando a morte se apresentou não lhe dei boas vindas e preferí confabular com a vida, que mesmo misteriosa (também), me dava alternativas.
    Carinhos

    ResponderExcluir
  7. , só não dar ouvidos a ela.

    |beijos meus|

    ResponderExcluir
  8. Sombrio... A morte chama todos os dias, mantenha-a assim escondida, à meia-luz... E viva! :)

    ResponderExcluir
  9. Eu, hein! Me finjo de morta.

    ResponderExcluir
  10. A chamada de morte às vezes é mais viva do que parece. Pode ser o impulso que nos leve a saborear o que a vida nos oferece. Vai de cada um.

    ResponderExcluir
  11. Soturno, é vero, mas belo!


    Beijos!!

    REMO.

    ResponderExcluir