14 junho 2006




"Deitei-me sobre teu peito
e ouvi algo estranho...
tum-tum
tum-tum

Olhei-te.

O olhar
plácido,
concentrado em meu
rosto.

Não compreendi.

Deitei-me,
novamente,
sobre teu corpo.
E o som se repetiu:
tum-tum
tum-tum.

Perguntei o que te afligia.
Respondeste-me com um beijo.

E fiquei a ser beijada,
ouvindo as batidas
de teu apaixonado coração
que faziam tremer meu corpo
minha alma
minha razão."


Keila Sgobi

(Copyleft)

5 comentários:

  1. Esse é o melhor som para o ouvido da alma...

    Linndo!!
    Beijos...
    :))

    ResponderExcluir
  2. adorei. parabéns! ;)

    ResponderExcluir
  3. pode chover? pode...
    tremores dos bons, não? :)

    ResponderExcluir
  4. Deitar sobre um corpo de prazer
    e ouvir o coração ritmando a paixão... Posso ouvir este poema e posso vê-lo, também, com nitidez, como se visse uma cena cinematográfica: e que linda cena!
    Keila, sempre, e cada vez mais, seu poeblog é o que me proporciona mais poesia. Porque poemas qualquer um é capaz de fazer, mas poucos sabem externar sentimentos vivenciados com tanta verdade e beleza de palavras.
    Fica aqui, então, não a minha admiração, mais que isso, fica o meu encantamento.

    ResponderExcluir
  5. o que eu ía dizer o octávio já disse de certa forma...posso dizer com outras palavras, as minhas:
    Vejo o seu poema virar cena,leio seu poema e me vem à mente o "tum tum" que ouço no corpo do meu amor... sinto o "tum tum" do homem que amo e me vem seu poema à mente. Sua poesia penetra na vida assim como a vida está na sua poesia. Parabéns, é especial, como sempre.

    ResponderExcluir