25 janeiro 2007

clexos

não sentia nada
o suor salgando o rosto
que pingava dor e alívio
ao som de "Time"

os olhos não enxergava
ao cruzar o espelho quebrado
pelas mãos ensanguentadas

o corpo não respondia
aos impulsos nervosos
que pelas veias corriam


e todos observavam perplexos à mulher esqualida abraçada a uma margarida ao lado de um bilhete que dizia:
"Bom dia"


Keila Sgobi

2 comentários:

  1. Adorei os teus poemas, Keila. Parabéns. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Putz!!! Forte esse aqui!! Gostei muito!!


    Beijos!!

    REMO.

    ResponderExcluir