18 março 2007

dor(risos)

Quando o riso se tranforma em lágrimas
e o choro já parece gargalhadas
é sinal de que é o fim.

10 comentários:

  1. Escrevi sobre um adeus lá no blog
    e aqui encontro um fim tão poesia, tão poesia.

    ResponderExcluir
  2. o fim pode ser um novo começo

    ResponderExcluir
  3. (nó)
    apertado na garganta
    o choro (riso) canta
    toda a tristeza de um fim.

    **estrelas**

    ResponderExcluir
  4. as manhãs surgirão depois do pranto e as dúvidas podem vir como uma noite repleta de sombras. mas hoje, Keila, hoje sim é que é o dia de sempre. por isso, um brinde às tuas lágrimas e ao teu sorriso!

    queria dizer que considero as minhas primícias poeticas uma experiência constante com a Poesia e por isso sempre em transformação. a apresentação feita pelo Everton não perdeu a força das palavras tão atentas aos caracteres de minha obra, mas cofesso que ficaria muito honrado se meu trabalho poético fosse apresentado também por você.

    beijos e té mais ler!

    ResponderExcluir
  5. o fim nunca é o fim...
    sempre continua
    um pouquinho mais
    assim, assim...

    ResponderExcluir
  6. Keila, estou pensando seriamente em participar desta coletânea que logo abaixo indico. Já conversei com o Eduardo, um dos organizadores, e achei muito interessante a proposta. Existe um porém: somente poetas da grande São Paulo poderão participar. Se você se animar a participar, isso será um grande motivo pra eu confirmar esta minha primeira intenção. Aliás, caso você conheça outros poetas, blogueiros ou não, que estejam dispostos a participar, avise-me, tudo bem? Vou encaminhar este aviso pra outros poetas, se puder, faça o mesmo.


    CANTOS DA CIDADE


    PUBLIQUE SEUS TEXTOS!
    (Poemas, Contos e Crônicas)

    O Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Independentes procura novos talentos para publicarem seus trabalhos no terceiro volume da coleção “Cantos da Cidade”. Se você escreve poesia, contos ou crônicas, envie alguns de seus textos (no mínimo cinco e no máximo quinze) para apreciação do CBE, datilografados ou digitalizados em espaço duplo para o seguinte endereço:

    Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Independentes
    Caixa Postal 59.031 – CEP: 02096-970
    São Paulo –SP

    Juntamente com os textos você deve enviar em uma folha anexa, seus dados pessoais com endereço, telefone para contato ou recados (indispensável) e um breve currículo (opcional).
    Favor enviar uma cópia dos trabalhos, pois os originais nãom serão devolvidos.
    Os autores selecionados serão publicados em edição cooperativa, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2007.

    Atenção: A Coletânea Cantos da Cidade não é concurso. Os primeiros trabalhos de autores selecionados pelo CBE serão publicados por ordem de adesão. Para participar, ENVIE SEUS TRABALHOS OU FAÇA UM CONTATO PELOS TELEFONES (11) 6258-9637/6233-0091/9684-9718, O MAIS BREVE POSSÍVEL, POIS AS VAGAS SÃO LIMITADAS.
    O BRASIL PRECISA DE CULTURA. PARTICIPE!

    Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Independentes
    Caixa Postal 59.031 – CEP 02196-970 – São Paulo – SP
    Fone: (11) 6258-9637/Fax: (11) 6233-0091

    ResponderExcluir
  7. gostei muito dos poemas aqui. Como eles refletem com força a dimensão da alma humana. parabens

    ResponderExcluir
  8. as vezes o fim é o início de um novo começo quem sabe até melhor?
    ou não...quem sabe??

    bela poeia...

    ResponderExcluir
  9. suspiros...

    no meio dessa correria, no meio do dia, no meio!
    eu encontrei aqui o começo e o fim

    beijos!
    Angélica

    ResponderExcluir